Segup confirma 10 assassinatos em quatro horas na capital e Grande Belém

Secretaria diz que nove mortes tiveram características de execução. Divisão de Homicídios da Polícia Civil deu início a investigações nesta quarta-feira, 5.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) confirmou, em nota oficial, a ocorrência de 10 assassinatos na capital paraense e em Ananindeua, na Grande Belém, dentro de um intervalo de quatro horas, na noite da última terça-feira (4). Desse total, nove crimes apresentam características de execução.

A Segup afirma que não descarta a possibilidade de uma chacina, o que será confirmado pelas investigações da polícia, e nem se esses crimes possuem relação com a morte do policial militar Adson Baia, atingido por disparos na última segunda-feira (3) no bairro Distrito Industrial, em Ananindeua.

A Secretaria diz ainda que considera anormal o número de homicídios registrados e determinou nesta quarta-feira (5) a intensificação das ações de policiamento e de patrulha na área metropolitana de Belém. Os crimes serão investigados pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

De acordo com dados da Polícia Civil, os homicídios ocorreram entre 19h49 e 23h54 da última terça-feira (4): sete deles aconteceram em Ananindeua, dois em Belém e um no distrito de Icoaraci. Três vítimas foram mortas no bairro do Curuçambá na mesma situação – triplo homicídio – e duas outras vítimas, em situações isoladas, foram mortas no bairro Distrito Industrial. Uma vítima foi assassinada na Estrada do Maguari e outra no bairro 40 Horas. Em Belém, duas mortes apresentam características de execução: uma no canal Água Cristal, no bairro da Marambaia e outra no Jurunas. Em Icoaraci, a vítima foi morta a tiros por um desconhecido enquanto cometia um assalto, na rua, com a ajuda de um outro suspeito, que foi atingido por um disparo e está internado no Hospital Metropolitano, em Anaindeua.

Ainda segundo a polícia, apenas a vítima identificada como Cláudia Helena Miranda dos Santos, morta às 23h54, no bairro do Jurunas, em Belém, tinha passagem policial. Ela usava uma tornozeleira eletrônica e respondia na Justiça por tráfico de drogas.

A Segup considera anormal o número de homicídios registrados e determinou nesta quarta-feira (5) a intensificação das ações de policiamento e de patrulha na área metropolitana de Belém. Os crimes serão investigados pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Violência

Nos dias 20 e 21 de janeiro deste ano, 27 pessoas foram mortas na Grande Belém. Os assassinatos aconteceram em pelo menos 20 pontos da região metropolitana. As mortes foram registradas horas depois que o soldado da Ronda Tática Metropolitana (Rotam), Rafael da Silva Costa, de 29 anos, foi assassinado durante uma ação policial. A proximidade do horário em que os crimes aconteceram e a utilização de carros para a execução dos mesmos são alguns dos indícios que levam os órgãos de segurança a acreditarem na relação com a morte do soldado. Um homem foi preso desde a série de assassinatos que assustou a população.

g1

05/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *