Porto de Maceió divulga crescimento de 8% em cargas no primeiro trimestre

Ministro dos Transportes, Maurício Quintela, anunciou investimentos de R$ 100 milhões no Porto para este ano

A Administração do Porto de Maceió divulgou, na noite última  quinta (30), o balanço do primeiro trimestre de 2017 com um crescimento de 8% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram movimentadas quase 620 mil toneladas de cargas entre 1º de janeiro e o dia 30 de março, em 61 navios de atracaram na capital alagoana, acima das 572 mil toneladas de 2016.

O resultado é motivo de comemoração pela retomada da economia em um ano em que o Porto de Maceió deve receber cerca de R$ 100 milhões do Ministério dos Transportes, Aviação e Portos, em investimentos na dragagem do calado, obras estruturantes e na modernização de toda a área portuária, permitindo que Alagoas passe a receber navios com mais de 40 mil toneladas.

O anúncio foi feito pelo ministro dos Transportes, Aviação e Portos, Maurício Quintela, e pelo ministro do Turismo, Marx Beltrão, que agradeceram a bancada federal pelo apoio para viabilizar os investimentos da União.

Trabalhador ganha R$ 1.055 por mês

O presidente do Órgão Gestor de Mão de Obra do Trabalhador Portuário Avulso do Porto de Maceió, Giulliano Leite Costa, também mostrou-se otimista com o cenário atual. “De janeiro pra cá, tivemos uma movimentação boa. Neste trimestre, o ganho médio mensal dos trabalhadores foi R$ 1.055,00. Somos 690 trabalhadores avulsos no Porto, entre estivadores, arrumadores e guindasteiros – que ganham entre R$ 60 e R$ 900 por dia trabalhado a depender do tipo de carga, que varia de fertilizantes a módulos petrolíferos.

Para Costa, a nova administração do Porto possibilitou uma mudança completa no modelo de gestão, indo em busca da excelência e despertando o interesse do mercado para Alagoas. Já o presidente do Sindicato dos Conferentes e Consertadores de Carga do Porto de Maceió, Marco Antônio Oliveira dos Santos, destacou que o compromisso com o trabalhador foi o ponto forte para a melhoria da administração portuária.

Marco Antônio também relatou que o movimento tem melhorado aos poucos. “Recentemente, tivemos um carregamento de fertilizantes que durou cinco dias de operação. O que chega a gerar renda de R$ 1.000 por trabalhador. Para nós, é um sinal de reação à crise econômica que derrubou a exportação de açúcar, de cimento e a importação de matérias-primas. Estamos animados com os últimos carregamentos”, declarou.

Atração de novos navios

O administrador do Porto de Maceió, Tadeu Lira, informou que o crescimento já é reflexo de uma busca por novos carregamentos. “Estamos modernizando a gestão, obtendo o certificado ISO 9001, e nos próximos dias estaremos em feira internacional promovendo a nossa zona portuária para comerciantes do Brasil e do mundo, mostrando como nossa posição geográfica é estratégica e que temos um excelente custo-benefício”, afirmou Tadeu Lira.

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *