Pereiras entendem, compreendem e aceitam fazer o boi voar

A Família Pereira já desembarcou no PMDB faz tempo, mas só deu o primeiro sinal de fumaça com a nomeação de Fernando Pereira para a Secretária de Estado da Assistência Social.

A imagem diz tudo: para sobreviver é preciso ciscar pra dentro

Os normais não entendem e, muito menos, compreendem a mudança de cenário que está em andamento para as eleições de 2018. O que é natural, afinal, o Mestre move as peças, enquanto curiosos opinam.

Segundo Wadson Regis, a saída do prefeito de Teotônio Vilela, Joãozinho Pereira, do PSDB para o PMDB, segue o processo de esvaziamento. Mas é muito mais que isso: Como você sabe, a Família Pereira já desembarcou no PMDB faz tempo, mas só deu o primeiro sinal de fumaça com a nomeação de Fernando Pereira para a Secretária de Estado da Assistência Social. Surpresa para muitos, mas o Mestre já havia feito e comemorado o gol há muito tempo.

Hoje, entenda, compreenda e aceite, existem duas famílias tradicionais no seu melhor momento na política: que são os Beltrão e Pereira. A nova geração, comandada por Marx e Joãozinho, domina, de forma direta, sete municípios alagoanos (Jequiá, Coruripe, Piaçabuçu e Penedo – para os Beltrão) e Junqueiro, Teotônio Vilela e Campo Alegre – com o sobre nome Pereira no comando). 

No ápice da vida pública estão os Calheiros, com Murici, ALE, o Senado e o Governo do Estado. O Mestre fez o dever de casa e já providenciou a procriação da espécie por longos anos. Entenda, compreenda e aceite.

E porque você imagina que a Família Pereira está trocando o PSDB pelo PMDB? Abandono ao ex-governador Teotonio Vilela Filho e ao senador Benedito de Lira? De jeito nenhum. Marx e Joãozinho fazem política de forma completamente diferente, mas pensam um futuro absolutamente igual.

Se for pra contar o enredo, seriam alguns capítulos, então vamos à prática. A Família Pereira está no seu melhor momento e Joãozinho enxergou que precisa mudar a estratégia para poder chegar mais longe. A política interiorana dos Pereira tomou conta do Estado desde a eleição de Joãozinho para deputado estadual e se confirmou com Jó Pereira, deputada estadual mais votada de Alagoas no último pleito. 

Para os filhos do saudoso João José Pereira, o Prefeitão, em time que se ganha se mexe sim. É por isso que está havendo a mudança partidária. Foi mais ou menos assim que Benedito de Lira chegou ao Senado, desbancando Heloísa Helena. Colou no Mestre e garantiu o segundo votos entre os aliados. Raposa velha na política, Benedito chegou longe demais e só não virou Mestre, porque arregalou demais os olhos e perdeu o foco.

Não duvide. Entenda, compreenda e aceite. A ida dos Pereiras para o PMDB não é pela sobrevivência política. A nova geração sabe dos riscos de Arthur Lira (primo da tropa) não poder ser candidato. Sabem que Benedito, a esta altura, não tem fôlego para para arriscar ficar sem mandato e a Câmara Federal, onde ele domina como poucos, pode ser o seu último lar político. Merecido, porque Biu é uma figura que faz bem à política interiorana – justamente onde está a origem e vitoriosa história dos Pereira de Lira.  

Benedito, não duvide, está no jogo que será jogado. Os bons jogam para vencer, não interessa como ou com quem. 

Pelo menos esta tem sido a lição que o Mestre Renan Calheiros tem ensinado há tantos anos. Os inteligentes entendem, compreendem e aceitam – em nome da vitória e da sobrevivência política.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *