Oscar mantém empresa de auditoria após erro histórico, mas endurece regras

Consultores responsáveis por confusão na cerimônia deste ano viraram ‘persona non grata’ na premiação. Edição de 2018 terá auditor extra e celulares proibidos nos bastidores.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas continuará trabalhando com a empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC), mesmo após o erro histórico na entrega da estatueta de melhor filme na premiação deste ano. A instituição, porém, endureceu seu protocolo para evitar novas gafes.

A companhia assumiu a responsabilidade pelo anúncio errado na cerimônia de 26 de fevereiro, e atribuiu a culpa a dois membros de sua equipe. Durante o evento, um consultor da PwC entregou a Warren Beatty o envelope errado no momento do anúncio do prêmio mais esperado da noite.

A dupla de Beatty no palco, Faye Dunaway, anunciou como ganhador o filme “La la land: Cantando estações” e se passaram mais de dois minutos até que o erro fosse corrigido e os produtores do filme premiado, “Moonlight: Sob a luz do luar”, fossem chamados para receber suas estatuetas.

‘Persona non grata’

“Depois de uma cuidadosa verificação, que incluiu uma extensa apresentação dos protocolos ajustados e ambiciosos controles, o Conselho decidiu continuar trabalhando com a PwC”, escreveu nesta quarta-feira (29) Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia, em um mensagem enviada aos membros da instituição e obtida pela agência France Press.

Ela acrescentou que a Academia foi “implacável em nossa avaliação já que o erro cometido pelos representantes [da PwC] é inaceitável”. Os dois consultores responsáveis pela confusão foram declarados no início de março “persona non grata” no Oscar.

De acordo com a revista “Variety”, a Academia também decidiu endurecer os protocolos de controle para evitar novos fiascos no Oscar. As novas regras incluem um terceiro auditor, que conhecerá os vencedores com antecedência e poderá alertar o diretor da cerimônia em caso de erro. Além disso, serão proibidos dispositivos eletrônicos nos bastidores – Brian Cullinan, funcionário da PwC que entregou o envelope errado a Beatty, postou uma foto no Twitter pouco antes da gafe.

Além disso, a Academia resolveu nesta quarta que um dos associados ao gabinete do Conselho, Rick Rosas, “voltará à equipe que trabalha com a Academia como um dos corresponsáveis pela votação” no Oscar, “uma tarefa que realizou impecavelmente durante mais de doze anos”.

g1

30/03/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *