Motorista sinalizou para policiais que estava ocorrendo assalto em ônibus, diz PRF

Assalto a ônibus da linha Alcântara-Niterói terminou pouco antes das 10h, após negociação da polícia com o sequestrador. Homem preso ia assinar a condicional nesta terça (21).

O motorista do ônibus que foi sequestrado em um dos acessos à Ponte Rio-Niterói na manhã desta terça-feira (21) sinalizou para os policiais que estava acontecendo um assalto no veículo, gerando a mobilização das forças policiais, que pararam o ônibus. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal. O ladrão preso se chama Jhon Lennon Silva Barbosa.

“Eu dei sinal com o farol. Passei por eles e pisquei. O importante é que está todo mundo bem. Isso que importa”, explicou o motorista em entrevista ao RJTV.

O assalto a um ônibus da linha Alcântara- Niterói terminou pouco antes das 10h, após negociação da polícia com o sequestrador. Passageiros ficaram reféns desde as 8h50 na BR-101, na subida da ponte Rio-Niterói, sentido Rio. Policiais militares e agentes da Polícia Rodoviária Federal participaram da negociação. De acordo com a PRF, os agentes faziam uma fiscalização na região, quando perceberam o motorista do ônibus fazendo sinal.

Às 9h09, o acesso à Ponte pela Av. do Contorno foi interditado por conta da ocorrência. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foram acionados e participaram da ação. Uma mulher passou mal e foi liberada pelos criminosos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, além dela, outras duas pessoas tinham sido liberadas até as 9h09.

De acordo com o tenente coronel Marçal, que participou da ação, o suspeito usou uma arma falsa para abordar os 30 passageiros do ônibus. A esposa do assaltante participou do processo de negociação e quis que a mulher entrasse no veículo, o que não foi permitido pelos policiais. Ainda segundo a polícia, no início se tratava apenas de um assalto, mas quando o criminoso percebeu que a polícia tinha sido acionada, resolveu fazer os passageiros reféns.

Uma mulher serviu de escudo para o suspeito durante a negociação. “Ele estava deitado no chão, na parte traseira do ônibus, com a mulher deitada na frente dele, para que garantisse a integridade física dele”, destacou o PM. O suspeito estava em liberdade condicional desde maio de 2015. Ele foi preso em 2011 após assaltar um ônibus no bairro Marambaia, em São Gonçalo. Ele ia assinar a condicional nesta terça-feira (21).

Ainda de acordo com o tenente-coronel Marçal, o sucesso do trabalho da polícia se deveu à paciência nas negociações. O PM contou ainda que nenhum refém foi agredido.

“Toda negociação é tensa, mas com muita paciência, conseguimos persuadí-lo de continuar esse sequestro e pouco a pouco ele foi liberando os passageiros. Primeiro, os mais nervosos, as mulheres e depois conseguimos que todos os passageiros fossem colocados em liberdade”, explicou o militar.

O acesso à Ponte Rio-Niterói foi totalmente liberado 10h09. O técnico de informática Felipe Rozendo destacou que era perceptível que a arma não era verdadeira.

“Ele pegou o ônibus na Avenida do Contorno. Estava com uma arma de plástico. Era uma air soft. Percebi porque sou jogador de paintball. Ele disse que havia saído da prisão há pouco tempo e hoje teria que assinar a condicional,” explicou Rozendo, que chegou a conversar com o criminoso.

O também técnico de informática Maycon Firmo contou que o suspeito tentava se justificar aos passageiros. “”Ele falou que era do Morro da Coruja, em São Gonçalo. Dizia o tempo todo que era casado e tinha dois filhos e que estava sem dinheiro para comprar leite para eles”, destacou Firmo.

g1

21/03/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *