Irmã de argentino morto em briga no Rio diz que crime é uma tragédia: Dor enorme

Vanina Carena disse ao G1 que espera justiça e que agressores sejam responsabilizados. Pais estão no Brasil para resolver trâmites necessários para levar corpo à Argentina.

A irmã do turista argentino Matías Sebastian Carena, que morreu ao ser espancado após sair de uma casa noturna em Ipanema, na Zona Sul do Rio, classificou o episódio como uma “tragédia”. Em entrevista ao G1, ela contou que vive uma “dor enorme” e que espera justiça, com os culpados identificados e responsabilizados.

“Me sinto muito triste, é uma tragédia e uma dor enorme. Não estou triste com o Brasil em geral, mas sim com os que atacaram meu irmão. Espero que haja justiça para os culpados, mas nada na vida irá trazer o meu irmão de volta”, afirmou Vania.

Vanina contou ainda que os pais chegaram ao Brasil nesta segunda-feira (27) para resolver os trâmites necessários para fazer o translado do corpo para a Argentina. Os familiares estiveram na Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca, onde é feita a investigação do caso.

Segundo a jovem, a notícia da morte foi dada por amigos que acompanhavam Matias Carena na casa noturna e também se envolveram na briga.

O corpo de Matías foi liberado na tarde de segunda-feira (27) do IML do Rio. De acordo com a Polícia Civil, o traslado foi providenciado por representantes do Consulado da Argentina. A entidade consular disse que não iria divulgar informações a respeito.

O delegado Fábio Cardoso disse que a confusão entre brasileiros e argentinos começou após algumas provocações dos brasileiros. Os argentinos teriam discordado do valor cobrado pelo estabelecimento e os suspeitos fizeram provocações na saída da casa noturna.

“Tudo começou dentro do bar que eles estavam. Houve uma pequena discórdia sobre a cobrança do bar, mas essa questão foi resolvida com os funcionários. Após sair do bar, esse grupo de brasileiros, que também estava no bar, começou a provocar, xingar, ofender e ameaçar os argentinos. Os argentinos ficaram com medo, a vítima chegou a atravessar a rua quando foi cercada. A DH busca identificar os brasileiros que se envolveram nesta confusão com os argentinos e aqueles que participaram da agressão e assassinato do Matias”, afirmou Fábio Cardoso.

Exame aponta traumatismo craniano

Ainda de acordo com o delegado, a necrópsia aponta que Matias morreu após sofrer um traumatismo craniano, que pode ter sido causado por um soco ou após a vítima ter caído no chão e batido a cabeça. Além disso, o argentino foi agredido com um porrete mesmo após estar desacordado.

“A necrópsia feita no corpo do Matias apontam que a causa da morte foi uma contusão no crânio, ou seja, uma pancada na cabeça que causou a morte dele. A investigação aponta que ele levou um soco muito forte de um dos agressores e caiu. Esse golpe foi muito forte e pode ter causado a fratura, mas a queda também foi muito forte. Após ele cair e estar desacordado no chão, ele ainda foi agredido com chutes e uma pancada dada com um porrete”, completou.

Ele não deu detalhes sobre a colaboração dos parentes da vítima, que estiveram na delegacia na tarde desta segunda.

Bar lamenta confusão

Em nota, o Barzin Rio Live lamentou o desfecho do episódio ocorrido na rua Vinicius de Moraes e informou que, em conjunto com o comércio e as residências do entorno, está colaborando com as investigações para o devido esclarecimento dos fatos.

“O Barzin Rio Live sempre prezou pela diversão e bem estar dos seus clientes, que nos prestigiam ao longo dos últimos seis anos, sem qualquer retrospecto de brigas ou confusões. Repudiamos e não compactuamos com manifestações de violência e acreditamos no êxito das investigações”.

Repercussão na Argentina

Os jornais da Argentina repercutiram a morte do rapaz com informações já publicadas pela imprensa brasileira. O caso tem destaque na edição online dos jornais Clarín e La Nacion e também no Infobae.

Matias era jogador de futsal de um clube do bairro de Boedo, em Buenos Aires. Amigos informaram aos jornais da cidade que ele estava de férias com um grupo de 10 pessoas no Rio e retornaria à Argentina neste domingo (26).

Nas redes sociais, os amigos de Matias lamentaram a morte e o clube publicou a notícia no que chamou de ” um episódio confuso no Brasil”.

g1

28/03/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *