Emilly e Marcos terminam festa com noite de sexo no edredom após DR

Mesmo sem reatar o namoro, o casal dormiu junto e trocou farpas por ciúme ao longo da noite

Emilly e Marcos esquentaram (em todos os sentidos) a noite na festa “Piscina Retrô” do “Big Brother Brasil”, que aconteceu na noite desta sexta-feira, 31 de março. O ex-casal, que decidiu dar um tempo no namoro e acabou se afastando ao longo da semana, voltou a protagonizar momentos picantes debaixo do edredom ao final do evento, após discutirem ao longo da comemoração e até demonstrarem crises de ciúme durante a festa. Ofegantes, os dois – que causaram polêmica por conta de sexo oral na casa – voltaram a trocar beijos e carinhos na cama do quarto do líder, com direito a muitas risadas e até imitação de caubói pelo brother.

Marcos tenta reunir o trio, mas Emilly desconversa

No início da festa, o médico tentou convencer a estudante a reconciliar o trio Ilmar, Marcos e Emilly, mas a sister, que venceu a última prova do líder, fingiu não entender o que o doutor estava falando e continuou a comentar sobre outro assunto. Em seguida, do lado de fora da festa, o próprio “mamão” (que virou piada após tomar banho de cueca branca na casa) comenta a atitude da gaúcha: “Me falaram uma coisa ali, ninguém suporta mais ela”, conta. “A Ieda é malandra, que se aproximou para não levar o tiro”, avaliou o brother, sinalizando uma possível indicação da líder Emilly.

“Hoje eu sou o monstro”, dispara gaúcha ao aconselhar médico

Entre diversas trocas de farpas, Emilly decide conversar com Marcos no quarto do líder. Ao avaliar os outros participantes, Emilly diz para Marcos que não está gostando do jeito que o brother está agindo na casa: ” Que não aja com tanta naturalidade. Calma. Seja menos. Antes de fazer as pazes contigo, era o monstro. Queria que não agisse tão naturalmente. Toda hora puxando papo, forçando a barra. Nunca foi assim. Está forçando a barra”, diz. “Ninguém queria papo contigo. Hoje eu sou o monstro. Pelo amor de Deus”, continua. “Se não tivesse mulher, era de se compreender essa necessidade de atenção. Isso é ridículo. Eles me detestam e te detestam também. Não fica achando que é amado”, completa a gaúcha.

terra

01/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *