Bombeiros socorrem vítimas após amônia vazar de unidade da JBS

Vazamento aconteceu no frigorífico da JBS em Campo Grande, MS. Funcionários passaram mal e foram à beira da rodovia BR-060.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar e do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram acionadas, na tarde desta quinta-feira (6), para socorrer funcionários do frigorífico JBS, em Campo Grande. Eles passaram mal por conta do vazamento de amônia. A TV Morena entrou em contato com a JBS e aguarda retorno.

Por meio de uma nota à imprensa, a JBS informou que o vazamento foi controlado e que, por precaução, a unidade foi imediatamente evacuada. O frigorífico disse ainda que as operações na unidade estão temporariamente suspensas. (Veja nota da JBS sobre o vazamento no final desta reportagem)

No começo da tarde, o movimento de socorristas no local foi intenso. Alguns empregados receberam atendimento do lado de dentro do frigorífico, onde se concentrou um grande número de ambulâncias; outros, assustados, correram para as margens da BR-060, a cerca de 400 metros da unidade.

Reclamando intenso mal estar, como falta de ar, algumas pessoas foram socorridas na beira da rodovia e encaminhadas para unidades de saúde da capital sul-mato-grossense. Funcionários relataram ao G1 que sentiram cheiro forte e saíram correndo, já suspeitando do vazamento de amônia.

Colaboradores que não precisaram de socorro atenderam pedido dos técnicos em segurança da empresa para retornar à área do frigorífico. A amônia é um gás tóxico usado no sistema de refrigeração do frigorífico.

Confira na íntegra a nota da JBS sobre o vazamento na unidade de Campo Grande:

“A JBS esclarece que na tarde de hoje (06) houve um vazamento de amônia em sua unidade de Campo Grande (MS), localizada na Rod. BR60,  que foi rapidamente controlado. Por precaução, a unidade foi imediatamente evacuada. Alguns colaboradores foram encaminhados aos postos de saúde locais e todos estão fora de risco. A JBS informa ainda que as causas do ocorrido estão sendo apuradas pela empresa. As operações estão temporariamente suspensas até que o local seja liberado pelo Corpo de Bombeiros”.

g1

06/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *